Produção, extração e análise físico-química de pectina do bagaço de laranja através do modelo de área superficial por Box-Behnken

  • Antonio Carlos Pereira de Menezes Filho Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Goiano-IF Goiano
  • Carlos Frederico de Souza Castro Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Goiano, Campus Rio Verde
Palavras-chave: Otimização, Pectina, Farinha mesocarpo, Rendimento, ácido galacturônico

Resumo

O trabalho teve por objetivo produzir, extrair e analisar físico-quimicamente a pectina do mesocarpo a partir do bagaço de laranja através do modelo de área superficial por Box-Behnken. O bagaço de laranja foi coletado em uma indústria de suco no município de Rio Verde, GO, Brasil. A farinha do mesocarpo foi produzida, e a extração da pectina foi realizada em diferentes concentrações de ácido cítrico, temperatura e tempo para a determinação do rendimento de massa péctica através de um delineamento composto central rotacional com quatro pontos axiais e três repetições no ponto central, totalizando 15 ensaios través do modelo matemático de Box-Behnken. A pectina produzida foi comparada com a pectina comercial através de análise titulométrica. As análises físico-químicas foram pH, proteína e pureza. A resposta do rendimento apresentou R2 = 91,78%, os efeitos significativos foram temperatura, tempo*tempo, ácido*ácido, ácido, tempo, ácido*temperatura, temperatura*temperatura. O modelo de Box-Behnken para pectina de laranja apresentou duas soluções, 1ª concentração ácida de 0,88 Mol L-1, tempo de 59,3 min., temperatura de 40 °C com rendimento de 49,55%; 2ª concentração ácida de 0,93 Mol L-1, tempo de 71,09 min., temperatura de 40 °C com rendimento de 48,43%. A titulometria apresentou (AUA) de 44,8%, (MeO) de 0,7%, (FA) de 45,4%, (FN) 54,6%, (GE) de 8,75%. A Físico-química apresentou pH de 2,68, proteína de 3,47% e pureza de 96,53%. A pectina de laranja a partir da farinha do mesocarpo apresentou grau de esterificação abaixo de 50%, sendo considerada pectina de baixo grau de esterificação. Os resultados obtidos demostraram que o modelo utilizado é adequado e eficiente para extração máxima de pectina e que apresenta uma pectina de baixo grau de esterificação, podendo ser aplicada em sucos e sheiks.

Biografia do Autor

Carlos Frederico de Souza Castro, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Goiano, Campus Rio Verde
Docente pelo Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Goiano, Campus Rio Verde, GO, Brasil Doutor em Química pela Universidade de Brasília, DF, Brasil Mestre em Química pela Universidade de Brasília, DF, Brasil Graduado em Química pela Universidade de Brasília, DF, Brasil
Publicado
16-12-2020
Como Citar
Filho, A. C., & Castro, C. F. (2020). Produção, extração e análise físico-química de pectina do bagaço de laranja através do modelo de área superficial por Box-Behnken. Revista Arquivos Científicos (IMMES), 3(2), 137-145. Recuperado de http://arqcientificosimmes.emnuvens.com.br/abi/article/view/483
Seção
Artigos originais