Agronegócio X Campesinato: Meandros de conflitos no município de Balsas – MA, Brasil

  • Vanderson Viana Rodrigues Universidade Estadual do Maranhão
Palavras-chave: Migrantes, sul maranhense, disputas, povos tradicionais, commodities

Resumo

O presente trabalho objetiva analisar os conflitos socioespaciais que envolvem os camponeses e os produtores de commodities do município de Balsas no Maranhão. Conflitos são inerentes na convivência de grupos humanos com distintos interesses, tal assertiva se aplica também ao município de Balsas, todavia, tais conflitos foram redimensionalizado e potencializados por intermédio das políticas de povoamento e incentivos agrícolas efetivadas pelos governos militares no período de 1970, quando Balsas recebeu um grande número migrante oriundos do sul do país, os quais trouxeram consigo a “cultura da soja” e aqui encontraram apoio para se desenvolve-la. A partir de então, tais conflitos passaram a fazer parte do cotidiano dos camponeses e os produtores de commodities, bem como das entidades de classes que os representam. Ainda que o modus operandi dos camponeses estejam aquém do ideal em suas relações socioambientais, as atividades desempenhadas pelos operadores do agronegócio, em especial dos sojicultores, nem sempre têm sido executadas com os melhores critérios do ponto de vista de preservação da natureza e da valorização da territorialidade preexistente, o que contribui para criar novos conflitos agravando a realidade socioeconômica dos camponeses, e os conflitos de ordem estrutural e conjuntural do modo de produção capitalista que se faziam presente, como por exemplo o êxodo rural que tem como consequência o acirramento das mazelas urbanas ao impelir os camponeses que não conseguiram resistir às pressões do agronegócio em migrarem em direção à cidade.

Publicado
20-06-2018
Como Citar
Rodrigues, V. (2018). Agronegócio X Campesinato: Meandros de conflitos no município de Balsas – MA, Brasil. Revista Arquivos Científicos (IMMES), 1(1), 14-20. https://doi.org/https://doi.org/10.5935/2595-4407/rac.immes.v1n1p14-20
Seção
Artigos de revisão de literatura